quinta-feira, 26 de maio de 2011

A Contribuição de Taylor e Ford

Linha de Montagem

       A Engenharia de Produção surgiu a mais de um século, visando a racionalidade econômica aplicada aos sistemas de produção. Para que se possa contar um pouco dessa história dois nomes devem ser citados: Frederick Winslow Taylor e Henry Ford. Taylor publicou em 1911o livro "Princípios da Administração Científica", sendo a partir daí reconhecido como precursor da Engenharia de Produção. Ele não era graduado e, no entanto, preocupava-se com os desperdícios que presenciava na siderúrgica onde trabalhava como participante do processo de produção: a Bethlem Steel (e vale a pena ressaltar que a siderurgia era a indústria de ponta, na época, como a Microsoft nos dias atuais).
       Para diminuir os desperdícios de tempo Taylor usou um objeto muito simples: um cronometro! Ele dissecava as atividades de produção em atividades elementares (início, constituintes e final), e media o tempo que cada uma precisava, em seguida, remontava a atividade de produção, minimizando o tempo total para a execução da atividade. Essa ideia mudou completamente a lógica da organização das indústrias e estabeleceu as bases para a construção de uma área de conhecimento chamada de Engenharia Industrial (pelos americanos) ou Engenharia de Produção (pelos ingleses).
       A proposta de Taylor foi colocada em prática por Henry Ford ao dar início a River Rouge, em Detroit, onde produziu o Ford Modelo T. Foi o primeiro a colocar no mercado automóveis em grande volume e baixo preço, atendendo às necessidades dos consumidores.
       Um dos conceitos de base utilizados por Henry Ford foi o da intercambialidade, no qual os automóveis eram produzidos com partes padronizadas e intercambiáveis. Outro conceito utilizado por Ford foi o da linha de montagem. Segundo Afonso Fleury, no livro Introdução à Engenharia de Produção, Ford se inspirou em uma visita que fez a abatedouros. " Depois de abatidos, os bois eram pendurados em ganchos que circulavam por um determinado recinto onde havia diferentes estações de trabalho. Em cada parada, a mesma parte do boi era cortada, ou seja, tratava-se de linhas de desmontagem de bois.Henry Ford inverteu o processo, criando o conceito de linhas de montagem.


"Para desenvolver corretamente a atividade do engenheiro de produção, deve-se entender quem influencia na forma como os sistemas de produção têm de ser projetados, implantados e aperfeiçoados."
Afonso Fleury

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário